quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Espantando o Exu Gordura

Hoje eu completo um mês de dieta. Segunda-feira, um mês de malhação. Ainda não pesei e não medi oficialmente pra saber os resultados, mas acho que perdi medidas. Algumas roupas que estavam difíceis se tornaram viáveis. Olho no espelho e a papada não incomoda tanto. A pança está menos abusiva. Com relação ao processo em si, está sendo uma jornada de auto-conhecimento e auto-controle. Meu corpo tem reagido bem aos exercícios físicos. Fico mais bem-humorada, mais disposta, menos cansada. Tenho uma preguiça mortal de ir à academia, mas tenho ido com uma frequência espantosa, se falto na semana, vou no sábado e no domingo, fui até no feriado de sete de setembro. Claro que essa disciplina não é mérito meu. O Galalau é que me convence, me chama, me acorda. E durante a malhação, em frente ao espelho, andando na esteira, descobri mais um companheiro pra pancinha, as bordinhas e a papadinha: o culote!!! Culote, Brasil!!! mas aqui, pra combinar com seus coleguinhas, eu vou chamar de anquinhas. Esse é o quarteto moleza: anquinhas, papadinha, bordinhas e pancinha. Literalmente fofos! São os pôneis malditos da boa forma. Ao ver as anquinhas, descobri por que as minhas calças todas pararam de servir! Elas transformaram minha bunda numa coisa enorme. Se eu não tivesse tomado providências, acredito que teria que pagar IPTU por essa mala toda, queia virar um bem imóvel. É o horror. Assim que fizer a 2ª avaliação na academia, vou iniciar um programa de drenagem linfática, pois as anquinhas são um poço de celulite. Mas a drenagem e a malhação não vão adiantar nada sem uma força para fechar a boca e pegar firme na dieta. Tenho que confessar que durante a semana, de segunda a sexta na hora do almoço, como bem. Consigo me manter nas 1500 calorias. Tenho comido muita verdura, muitos legumes, de forma variada e com prazer. Tenho comido frutas, o que é uma delícia e espanta a vontade de comer bobagens. Na verdade, voltei à alimentação que eu tinha até a adolescência: muita fruta, verdura e legume. O problema é o fim de semana. Sempre rola uma cervejinha. E a cerveja traz amigos: o carpaccio (Galalau adora e faz um perfeito), boursin, torradinhas do capeta. E aí é que mora o perigo. Álcool engorda. Preciso de força de vontade pra isso. Fora as almas gordas. Meus amigos compartilham o meu gosto por comida e minha vocação pra mestre cuca amador. Neste feriado, mesmo tendo ido à academia, enfiei o pé na jaca. Recebi gente em casa na 3ª (dia 06) à noite e fiz risoto de carne seca. Almocei com a Marina na 4ª (dia 7) e comi risoto (again) de curry com shitake; Jantei no Clóvis na 3ª à noite e comi cuscuz marroquino, arroz com lentilhas e sardinhas assadas. Ok, tudo meio saudável, mas em quantidades cavalares. A partir daí foi ladeira abaixo. Tomei coca-cola no almoço, comi torresmo, comi menos frutas e verduras,tomei pouca água e teve a reuniãozinha do post anterior. Senti os efeitos deste exagero e agora estou mais vigilante. Vou procurar uma nutricionista pra ajustar melhor o cardápio aos meus hábitos e necessidades e pra flexibilizar o álcool, pois é necessário algum prazer nessa vida.

4 comentários:

PCOP Leonardo disse...

Babi, admiro a coragem, a paciência, a disciplina e a persistência. Tudo isso me falta, aos montes, para eu voltar ao mundo das pessoas que não se cansam ao enfrentarem mais que 5 degraus de escada...

Barbara disse...

ah, Leonardo... obrigada pelo incentivo. e eu sei que o processo é lento. Agora, me conta uma coisa: como as pessoas conseguem ser magras e fazer mestrado ao mesmo tempo? Pacto com o cão?

Klara Barker disse...

Oi Bárbara!

Simpatizei demais com o seu perfil, pois também sou de sampa, moro em bsb e gosto de boa comida, boa vida, bons amigos... :D

Quanto ao regiméx, o fds ferra com todos nós. Caraca, aqui em casa minha mãe só pensa em cozinhar mil e uma comidas suculentas e gostosas. Aí chega a minha melhor amiga com os cookies especiais, e junta o meu namorado com as porcarias delícias dele. Tudo isso somado a minha tendência a engordar...quem aguenta?
A única coisa que me salva é que eu sou vegetariana, então consigo ás vezes "manter o peso" por pegar mais leve....
mas não é nada fácil!

beeeeeeujo

Barbara disse...

Oi, Clara...
Seja bem vinda... Esse espaço está tão abandonado, mas é bom ver gente nova por aqui.
E fim de ano é uma tortura também. Almoços, jantares, festinhas...
Quem me dera ser vegetariana, pra controlar melhor o estrago, mas quem disse que eu consigo?
Um feliz natal e um ano novo maravilhoso pra você.